segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Uma cápsula protetora

     Aventureiro e rico decidir abandonar este tempo do mundo enquanto ainda sou jovem e no futuro usufruir do novo mundo. Financiei a pesquisa final do Dr. Mood para ser congelado por anos em sono profundo do qual não permite sonhos. Minha cápsula é meu despertador; abro os olhos e respiro profundamente como após um longo mergulho. A consciência me volta como se apenas tivesse acabado de fechar os olhos para o congelamento de séculos. Olho ao redor procurando o Dr. Mood com uma pergunta em mente: O que deu errado? A anestesia fez efeito pois sei que dormi, porém, fui congelado na cápsula e agora desperto em outro tempo? Funcionou? ...Dr. Mood é o que esboço falar em uma tentativa frustrada com minha língua dormente e nada consigo pronunciar. Meu corpo pesa e não consigo me sustentar em pé, inclinando em direção ao chão eu sinto a falta dos meus movimentos nos braços e pernas, sem conseguir me controlar, vou ao chão e é como cair em tapete de veludo molhado pelo liquido que escorreu da cápsula, não sinto nada. É como cair da cama quando criança e ainda no chão sofrer da paralisia do sono. Faço um esforço enorme e como minhoca retorço meu pescoço... estirado ao chão olho para a grande parede de vidro em minha frente... Dr. Mood mudou a sala em poucas horas, imagino eu, ou meu congelamento realmente deu certo?! Estarei no futuro?! Esforçando-me para que meus comandos gerem movimentos básicos em meus dedos e mãos... – Dr. Mood!!! – Grito do chão. Minha boca voltou ao normal, consigo sentir meu rosto no chão frio e molhado. – Por que Dr. Mood não aparece? Por que ninguém aparece? Que droga! – Quando eu estiver de pé irei encara-los todos que estiverem me observando e vou gritar ainda mais alto: Desgraçados! Seus... Seus... Droga!

Nenhum comentário:

Postar um comentário