domingo, 25 de janeiro de 2015

Com certeza! Não resta dúvida quanto à confusão dos fatos!

Quando falávamos em outro idioma ela nos observava e diria até com admiração... Agora quando conversamos em seu idioma só ela queria atenção.

E mesmo depois de muito tempo falando ninguém memorizou nada e do pouco tempo que só olhamos sabíamos como seria o fim!

Agora que foi um momento para se esquecer, isto sem dúvida foi! Que loucura, que variação de temperatura do ambiente, quanta falta fez, quanta vontade de não ter vivenciado. Tive que me expor na violência que aquela situação nos levou. No escuro me restou matar ou morrer e foi o projeto do projetista, não haver escapatórias. Diria que tudo foi executado com sabedoria. Mas, por parte de quem?

Foi projetado e decidido, só restava ser executado... E Foi! Sim... Como foi até o fim aquela luta constante que se dissipou como em sonho... Aquele “flash” do momento onde sentando junto aos outros e tentando justificar sua estadia... Ali todos justificam alguma coisa que sempre é vista como erronia, blefe e irônica.

É burrice? É burrice sim: agir sem planejar! Não é burrice: lutar até o fim!

Medo? Acredito que sim! Vejo-o como um aliado... Não podendo viver sem.

Se me arrependo? Quem se arrepende de lutar por causas maiores que vale sua vida? Agora esquecer... Seria bom esquecer! Mas a gente nunca esquece algumas causas e seus efeitos... Por fim, diria ele, ainda resta viver!

Nenhum comentário:

Postar um comentário